Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted by on dez 7, 2012 | 0 comments

Exame obrigatório reprova mais da metade dos recém-formados em medicina

Dos 2.411 participantes do Exame do Cremesp, 54,5% foram reprovados. 114 tiveram suas provas invalidadas
Fonte: R7, 07/12/2012

Dentre 2.411 participantes do Exame do Cremesp, formados em escolas médicas do estado de São Paulo, 54,5% foram reprovados, pois acertaram menos de 60% da prova, ou seja, menos de 71 das 120 questões. O exame contou com a presença de 2.525 egressos das 28 escolas médicas paulistas que funcionam há mais de seis anos. Desses, 114 tiveram suas provas invalidadas. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (6).

Segundo informou o Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp), 2.943 recém-formados se inscreveram no exame. Desses, 71 (2,5%) não compareceram. Dos 2.872 presentes, 119 (4,2 %) tiveram suas provas invalidadas (114 de São Paulo e 5 de outros estados) – sendo que 86 boicotaram o exame, assinalando letra ” b” em todas as questões, e 33 apresentaram provas com outros padrões de respostas inconsistentes.

As provas invalidadas não foram consideradas na apuração dos resultados.

Também compareceram ao exame recém-formados de 51 diferentes cursos de medicina de outros estados (347, do total de 2.872 presentes). Como irão se registrar no Cremesp e atuar no estado de São Paulo, eles também fizeram a prova. O objetivo principal do Exame do Cremesp é avaliar o ensino médico no Estado de São Paulo. Por isso, para alguns resultados, não foram considerados os participantes formados em outros estados.

A prova contou com 120 questões objetivas de múltipla escolha que abrangem problemas comuns da prática médica, de diagnóstico, tratamento e outras situações, em nove áreas básicas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Saúde Mental, Epidemiologia, Ciências Básicas e Bioética.

Baixo desempenho em áreas básicas

O Exame do Cremesp de 2012 demonstra que há deficiências na formação dos estudantes em campos essenciais do conhecimento médico. Chamou a atenção o baixo índice de acertos em Saúde Mental (média de 41% de acertos), Saúde Pública (46,1%), Clínica Médica (53,1%) e Ginecologia (55,4%).

Escolas privadas tiveram menor média de acertos

No resultado do Exame do Cremesp de 2012, de acordo com a natureza das escolas médicas, considerando 2.753 provas válidas, verificou-se que a média (percentual de acertos da prova) foi maior entre os cursos de medicina públicos (63,74 % de acertos), quando comparados com os participantes oriundos de instituições privadas (54,38 % de acertos).

Exame obrigatório

Pela primeira vez, o Cremesp tornou o exame obrigatório. O comprovante de participação na prova no dia 11 de novembro será exigido para o registro profissional do médico no Cremesp. Mas o registro não dependerá do desempenho ou da aprovação. O resultado individual, por aluno, é confidencial.

Segundo informou o conselho, por força de lei, o Cremesp não pode condicionar o registro à aprovação em um exame. Isso exigiria uma lei federal, como a que instituiu o Exame da OAB, o que está em tramitação no Congresso Nacional.

Os inscritos que faltaram ao Exame do Cremesp no dia 11 de novembro deverão apresentar justificativa.

Encaminhamentos

Ainda de acordo com o conselho, as notas individuais serão encaminhadas confidencialmente a cada participante. As escolas médicas terão um relatório pormenorizado de desempenho de seus alunos por área do conhecimento, preservando a identidade dos formandos. Também receberão relatório sobre o Exame do Cremesp os Ministérios da Educação e da Saúde, o Conselho Federal de Medicina, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal.

Audiência a estudantes

Um grupo de cerca 10 estudantes – a maioria representante de centro acadêmico de uma faculdade de medicina – esteve na sede do Cremesp, na ocasião em que eram divulgados os resultados do Exame, para saber o que iria acontecer com aqueles que boicotaram a prova, já que não estavam conseguindo obter inscrição no Conselho.

Após a coletiva, Azevedo, Luna e Ayer receberam os estudantes em audiência. O presidente do Cremesp esclareceu que as provas, que durante o processo de correção e revisão, apresentaram resultados inconsistentes, estavam sendo analisadas pela Comissão Organizadora. Ele informou que o Cremesp tem até 31 de janeiro para confirmar esses resultados.

Somente após a confirmação do resultado pela Comissão Organizadora do Exame do Cremesp, o recém-formado em medicina poderá dar entrada ao pedido de inscrição. Mas aqueles que têm urgência do registro podem formalizar um requerimento de prioridade junto ao Cremesp.

Facebook Twitter Email
468 ad
Social links powered by Ecreative Internet Marketing