Pages Menu
TwitterFacebook
Categories Menu

Posted by on set 13, 2013 in ENEM, IDEB, INEP, Prova Brasil, Saeb | 0 comments

Como o Enem, Prova Brasil terá questões de ciências humanas e da natureza

DA REDAÇÃO - UOL EDUCAÇÃO – 12/09/2013 – SÃO PAULO, SP

A exemplo do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a Prova Brasil deste ano incluirá questões de ciências humanas e de ciências da natureza. Esta será a primeira que vez que o exame cobrará conteúdos de ciências, até o ano passado os alunos faziam provas apenas de português e matemática.

Com duas horas de duração, o exame de ciências terá 52 questões –mesmo número da prova de matemática e português juntas. A nova prova só será aplicada para alunos do 9° ano do ensino fundamental e do 3° ano do ensino médio, por enquanto.

As notas da nova disciplina não serão utilizadas na composição do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em 2013. Esta primeira edição servirá apenas como teste para calibrar a matriz e avançar nos cálculos do Ideb para 2015.

Questionado, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) não soube dizer temas de quais disciplinas poderão ser abordados nas questões, pois o documento final com as matrizes de referência do exame ainda não estão disponíveis. No entanto, o órgão garante que os sistemas de ensino já sabem quais são as matrizes do exame.

Segundo o órgão, a inclusão de questões de ciências `permitirá o diagnóstico da proficiência dos estudantes nesta área do conhecimento que, juntamente com a matemática, leitura e escrita, é estratégica no desenvolvimento dos estudantes no Brasil`.

A Prova Brasil será realizada em dois dias: 11 e 21 de novembro.

O que é Prova Brasil?

A Prova Brasil é uma avaliação em larga escala do Inep aplicada a cada dois anos em escolas públicas urbanas e rurais que possuem turmas de 20 ou mais estudantes. O objetivo é avaliar o sistema educacional, analisando o desempenho de alunos, docentes e servidores.

As escolas são selecionadas pelo Inep com base em dados do Censo Escolar. Até 2012, as provas eram compostas por quatro blocos – dois de língua portuguesa e dois de matemática. Não são divulgados resultados individuais dos estudantes, já que o objetivo é avaliar a unidade e o sistema de ensino.

Facebook Twitter Email
Read More

Posted by on set 12, 2013 in Avaliação Educacional, INEP, Prêmio Inovação | 0 comments

Experiência bem-sucedida vira lei em município fluminense

INEP
Prêmio Inovação
06 de Setembro de 2013

Sistema de ensino em Rio das Ostras (RJ) registrou elevado crescimento no Ideb em quatro anos ao implantar método próprio de avaliação dos estudantes (foto: Maurício Rocha)

Em 2007, o município de Rio das Ostras, na Região dos Lagos fluminense, implantou o Sistema de Avaliação Educacional (Saero), com o propósito de reduzir a distorção idade-série e o número de reprovações. O índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) nas séries iniciais do ensino fundamental das escolas municipais era então de 5,0. Quatro anos depois, em 2011, Rio das Ostras alcançou o índice de 5,7 e superou as metas estabelecidas no Ideb para aquele ano. Em razão dos bons resultados, o sistema de avaliação foi institucionalizado pela Lei Municipal nº 1.764/2012.

O Saero consiste na obtenção de dados que apontem avanços e defasagens no desempenho escolar de cada estudante do ensino fundamental. Antes de se tornar lei municipal, a experiência foi uma das dez vencedoras, em 2011, do Prêmio Inovação em Gestão Educacional, promovido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

De acordo com o diretor do Departamento de Avaliação Sistêmica da Secretaria de Educação de Rios das Ostras, Maurício Santana, a conquista do prêmio foi fundamental para o Saero ser transformado em lei. “Com a promulgação da lei, a previsão, em 2013, é de avaliarmos mais de 16 mil estudantes do ensino fundamental”, destaca Santana. É meta da secretaria, em 2014, estender a aferição a outras etapas da educação básica.

Prêmio — Até o dia 30 próximo estão abertas as inscrições para a quarta edição do Prêmio Inovação em Gestão Educacional. Podem concorrer experiências desenvolvidas por órgãos municipais gestores do ensino. Elas devem estar em vigência e implantadas há pelo menos 18 meses, além de já ter apresentado resultados. Os dirigentes municipais podem inscrever até quatro experiências, uma para cada área temática do prêmio:

  • Gestão pedagógica — Relacionada ao planejamento e à organização do sistema educacional do município e das unidades escolares quanto ao gerenciamento de recursos e à elaboração e execução de projetos pedagógicos.
  • Gestão de pessoas — Relacionada ao uso de métodos e técnicas que envolvam a formação e o desenvolvimento dos profissionais, bem como ao incentivo à participação em decisões políticas e técnicas e valorização de mérito.
  • Planejamento e gestão — Relacionada ao uso de métodos e técnicas de gestão pública na educação do município.
  • Avaliação e resultados educacionais — Relacionada ao desenvolvimento e ao uso de instrumentos e de tecnologias de avaliação e de monitoramento dos processos e resultados educacionais do município e seu uso na orientação em tomadas de decisões de gestão e de práticas educativas.

Assessoria de Comunicação Social do Inep

Facebook Twitter Email
Read More

Posted by on set 12, 2013 in Avaliação Educacional, Censo Escolar, Educação | 0 comments

MEC planeja alterações no censo escolar para auxiliar monitoramento do PNE

PRISCILLA BORGES – IG ÚLTIMO SEGUNDO – 11/09/2013 – SÃO PAULO, SP

O Ministério da Educação vai criar um sistema de auxilio para gestores de todos os municípios brasileiros acompanharem o cumprimento das metas estabelecidas no Plano Nacional de Educação (PNE). Para isso, algumas alterações no questionário do censo escolar serão feitas.

A informação foi dada pelo secretário de Articulação com os Sistemas de Ensino do MEC, Binho Marques, no congresso “Educação: agenda de todos, prioridade nacional” promovido pela organização Todos pela Educação, em Brasília. `Queremos ajudar os gestores a conhecer a própria realidade e assim teremos um PNE com mais chance de ter resultados`, disse.

Segundo Marques, os dados sobre o diagnóstico dos municípios em relação às metas do plano já foram levantados há mais de um ano. “Dependemos da aprovação do PNE para repassar a eles, já que alguns ajustes poderão ser necessários”, afirma.

O plano, que define metas e orientações para a educação em dez anos, tramita no Congresso Nacional há mais de três anos. O MEC elaborou sugestões de metas intermediárias para cada município, nos moldes do Inep. A lei não prevê isso.

Monitoramento

Além do sistema que está sendo criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que dará o diagnóstico atual dos municípios aos gestores, o governo prepara um material explicando cada meta e sugerindo meios de alcançá-las.

Marques conta que o censo escolar sofrerá alterações. As mudanças serão pequenas, segundo ele, e servem para facilitar o monitoramento das políticas ano a ano. O censo escolar é realizado anualmente em todas as escolas brasileiras.

Na análise do ministério, foram utilizados dados do próprio ministério e também do Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE). “O ministério elaborou uma proposta de trajetória para alcance das metas para cada município”, afirmou.

O material já foi avaliado e discutido com representantes dos conselhos municipais de educação, pelo Fórum dos Conselhos Estaduais de Educação, pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). “Eles avaliaram e sugeriram mudanças”, contou.

Facebook Twitter Email
Read More

Posted by on set 6, 2013 in ENEM, INEP, Prova Brasil, Saeb, TRI | 0 comments

Inep construirá ‘bunker’ para evitar fraude

O Estado de S.Paulo - 06 de setembro de 2013 | 2h 01

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC), vai construir, por R$ 15,2 milhões, uma espécie de “bunker” de segurança que será dedicado à elaboração de questões e avaliações, como Enem, Prova Brasil e Sistema de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). A caixa-forte deve ficar pronta em março de 2014.

O local será usado para análise e revisão de conteúdo do Banco Nacional de Itens, que reúne as questões dos exames organizados pelo instituto. O objetivo é garantir a segurança dos processos e aprimorar a produção dos itens.

O Inep tem um histórico de problemas nas avaliações. Em 2009, a prova do Enem chegou a ser furtada da gráfica – o material foi oferecido à reportagem do Estado, que avisou o MEC e o exame foi cancelado. Itens da prova de 2011 ainda vazaram para alunos de um colégio privado de Fortaleza, o que resultou na anulação de 14 questões de 1.139 estudantes.

A estrutura do bunker, com 988 m² e 24 ambientes, incluirá acesso restrito. O projeto, cujo edital está aberto, prevê sistema de monitoramento com 101 câmeras, controle de entrada por leitura biométrica e escaneamento de objetos. O espaço será construído na nova sede do instituto, no Setor de Indústrias Gráficas, em Brasília.

 

Facebook Twitter Email
Read More

Posted by on set 5, 2013 in Avaliação Educacional | 0 comments

MEC divulga guia para o Enem 2013

Giovana Teles

Brasília

Ministério da Educação (MEC) divulgou, nesta quinta-feira (5), o guia para quem vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no fim de outubro. Entre as regras descritas no documento, está a determinação para alunos que fizerem graça nas respostas. Eles levam nota zero.

O guia tem cinco redações que tiraram nota máxima no ano passado e comentários sobre essas provas. A correção das redações vai ser feita por dois profissionais. Se houver diferença de mais de cem pontos, passa para um terceiro. Caso continue, vai para uma banca. Segundo o MEC, não há possibilidade de alterar a nota da redação depois que ela for divulgada.

O texto da redação é dissertativo-argumentativo. O candidato tem que dar a opinião dele, elaborar uma tese sobre o tema proposto, com argumentos consistentes e, no fim, fazer uma proposta de intervenção, de solução para o problema apresentado.

Os corretores da prova vão analisar se o aluno domina a escrita formal, se ele entendeu o tema, defendeu a ideia dele sobre o assunto e como organizou as informações e se o texto foi estruturado de forma lógica e coerente.

Ganha nota zero, por exemplo, quem fugir do tema, escrever só sete linhas, escrever gracinhas – como já fizeram: receita de macarrão, hino de time, palavrões e fizer desenhos.

Assista o vídeo do Jornal Hoje/Globo sobre o tema:

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2013/09/mec-divulga-guia-para-o-enem-2013.html

Facebook Twitter Email
Read More

Posted by on set 5, 2013 in Avaliação Educacional | 0 comments

Seleção aberta para projetos acadêmicos na área de desenvolvimento social

Em parceria com o CNPq, edital seleciona projetos que irão receber até R$ 100 mil. Prazo para enviar propostas é 16 de outubro

 Divulgação / Portal Planalto

Com o objetivo de apoiar e financiar pesquisa acadêmica na área de proteção e desenvolvimento social, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lançaram, nessa segunda-feira (2), um edital  que selecionará as melhores propostas ligadas à área.

Serão investidos R$ 2 milhões em pesquisas, que serão repassados ao CNPq em duas parcelas. Os projetos devem ser encaminhados até o dia 16 de outubro, pelo site da entidade. O objetivo é apoiar os estudos de pesquisadores vinculados a universidades, centros de estudos e empresas públicas de pesquisa sobre o Plano Brasil Sem Miséria e sobre as políticas sociais. Além disso, o MDS deseja estimular a formação de uma rede de pesquisadores sobre as ações e serviços ligados à pasta.

 

Financiamento

O valor máximo de financiamento é de R$ 60 mil para projetos em que o coordenador tenha titulo de mestrado e R$ 100 mil para projetos coordenados por um doutor. O prazo para execução dos projetos é de 18 meses. Depois da apresentação das propostas, os projetos passarão por uma análise de acordo com os temas. A previsão é de que o resultado com as pesquisas selecionadas seja publicado no Diário Oficial da União e no site do CNPq em novembro.

Os projetos devem seguir os temas propostos: Assistência Social; Bolsa Família – Estratégias para alívio e superação da Pobreza; Inclusão Produtiva; Segurança Alimentar e Nutricional; Temas transversais e Ações de integração de políticas de desenvolvimento social; Economia e financiamento das Ações de Desenvolvimento Social e Combate à Fome; e Análise de dados secundários das bases sociais disponíveis no MDS e outros estudos.

Segundo o coordenador do Departamento de Avaliação da Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação (Sagi), Alexandro Rodrigues, a iniciativa beneficia todas as partes. “A academia sai ganhando porque se aproxima das políticas sociais; ganha o ministério, que pode aperfeiçoar suas ações a partir das avaliações externas e, assim, a população também é favorecida pelas pesquisas”, comentou.

Facebook Twitter Email
Read More
Social links powered by Ecreative Internet Marketing