Pages Menu
Categories Menu

Posted by on out 8, 2013 in Ciência, Pesquisa, Pesquisa Social, Pnad | 0 comments

Transformações sociais (Valor Econômico, em 08.10.2013)

BRASÍLIA, TER, 08-10-2013 Por Marcelo Côrtes Neri A Pnad nos permite traçar um retrato amplo das mudanças observadas na vida dos brasileiros no ano que passou. Os microdados tornados públicos pelo IBGE simultaneamente com análises e tabulações feitas pela equipe do instituto, permitem a qualquer um replicá-las e desenvolver suas análises. Em 2012, pleno ano do pibinho, a renda real per capita da Pnad deflacionada pelo INPC cresceu 7,98%. Trata-se portanto de crescimento acima da inflação. A importância de complementarmos a análise de crescimento proporcionada pelas contas nacionais com outra baseada em pesquisas domiciliares, tipo Pnad, é a primeira recomendação da comissão de notáveis, comandada pelos ganhadores do Nobel Joseph Stiglitz e Amartaya Sen, sobre como medir o progresso das nações. Na grande maioria dos países o PIB cresce mais que as pesquisas domiciliares, no Brasil tem ocorrido o oposto nos últimos 9 anos com crescimento dos primeiros 22,8% pontos de porcentagem abaixo dos últimos enquanto o deflator implícito do PIB cresce 22,9% acima do IPCA. Ou seja há equivalência...

Read More

Posted by on set 27, 2013 in Ciência, Educação, Estatística, Pesquisa Social, Pnad | 0 comments

PNAD 2012: Desocupação diminui, mas percentual de empregados com carteira assinada fica estável

PNAD 2012: Desocupação diminui, mas percentual de empregados com carteira assinada fica estável

Fonte: Ibge, Comunicação Social, 27/9/2013 A taxa de desocupação das pessoas com 15 anos ou mais de idade foi de 6,1% em 2012, abaixo dos índices de 2011 (6,7%) e de 2004 (8,9%). Já o percentual de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (74,6%) manteve-se estável de 2011 para 2012, embora o número absoluto tenha crescido 3,2%. Houve avanço também nos indicadores nacionais relacionados ao trabalho infantil. Em 2012, havia 3,5 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos de idade trabalhando, 156 mil a menos que em 2011. O nível da ocupação (proporção de ocupados nessa faixa etária) das pessoas de 5 a 17 anos foi de 8,3% em 2012, frente a 8,6% em 2011. Estas informações são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2012, que mostra também que houve um ganho de 5,8% no rendimento médio mensal real de todos os trabalhos das pessoas de 15 anos ou mais de idade ocupadas e com rendimento, na comparação entre 2011 (R$...

Read More

Posted by on set 3, 2013 in Pesquisa Social, Pnad | 0 comments

Primeira Página – Meio rural vive ‘debandada’ de mão de obra

Estudo feito pela FGV com base em dados da Pnad mostra que o aumento do salário mínimo tem provocado a antecipação da aposentadoria e permitido a permanência das crianças e adolescentes nas escolas em região dominada pela agropecuária. Segundo economistas, nem mesmo a alta da inflação será capaz de reverter este quadro, revela Fernanda Nunes Trabalhador rural longe do campo Mão de obra agropecuária despencou, com a expansão do salário mínimo. Os mais velhos estão antecipando a aposentadoria e garantindo a permanência dos jovens na escola Fernanda Nunes O aumento da renda, proveniente da valorização do salário mínimo, mudou a estrutura do mercado de trabalho no meio rural, revela estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), divulgado com exclusividade ao Brasil Econômico. “Houve uma debandada da mão de obra. Um grupo expressivo está preferindo ficar em casa a ir para a lavoura”, destaca o economista Rodrigo Leandro de Moura. A opção por não trabalhar na agropecuária não indica, contudo, transferência da mão de obra para as...

Read More